quinta-feira, 3 de junho de 2010

Reflexo


Refletido em teus olhos sou apenas um pixel
Morto em significado.
Atravessando um caminho inverso, inacabado.
Espelho enferrujado, lente empoeirada de sentidos.
Por entre os dedos, quase envergonhada,você me olha
e distrai todos os pensamentos entre a névoa da madrugada e doses ínfimas de solidão.
Não enxergo as linhas, finas considerações, apagadas, tímidas
Enfrento os dias, sufocado em meus próprios medos
esperando a promessa muda de tempos melhores (enquanto ainda respiro)
Refletido em teus olhos.

terça-feira, 1 de junho de 2010

Indício


O medo, indício.
E minha face, plena de ódio, soluça.
Música, suor, gengivas sangrando...
e teu surdo momento descamba...
Ainda ouço,levemente amordaçado,meu sonho ao longe.
E tudo é tão fácil,
desmemória em ciclos regulares...
Tudo é tão útil,
menos a lágrima de batom no silêncio do quarto...
Teus olhos claros, verdes lacrimejantes...
Teu sussurro sobrevoando a noite, a brisa fria e o amontoado de significados
derramando solidão por sobre o tapete da sala.
Eu, nada absoluto e indigno
permeio todos os nomes, os lábios, a saliva quente do Destino...
Adormeço sob teus pés, acariciado pela garoa fina dos teus olhos.

Luciano Pires

Pessoas que aportaram por aqui: