quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Magia é a Ciência que não conhecemos


A primeira vez que ouvi um disco gravado em 5.1 foi Dark Side of the Moon do Pink Floyd e fiquei maravilhado com a textura que a gravação dava às viagens sonoras que já estava acostumado a ouvir, os passos, a caixa registradora no começo de Money. Ao procurar saber mais sobre esse tipo de gravação me deparei com a denominação "Binaural", já havia ouvido isso no título do disco do Pearl Jam , mas não sabia o que era.

Pra começar, fechem os olhos e ouçam isso com fones de ouvido, precisa ser com fones, depois explico o porquê:




A banda Pink Floyd também chegou a usar a mesma técnica no disco “The Final Cut”, de 1983. Na faixa “Get Your Filthy Hands Off My Desert”, uma explosão 3D é ouvida.







"A audição binaural, juntamente com a filtragem de freqüências, permite aos animais determinar a direção da origem dos sons. É uma técnica de gravação e reprodução sonora bastante interessante, pois, com apenas dois microfones, é possível criar o efeito de som ambiente. Para a gravação são colocados dois microfones acoplados à cabeça de um manequim. Os microfones devem ser colocados na posição das orelhas


Fazendo uma analogia, o processo de gravação de um áudio 3d é o mesmo de uma imagem 3d, pois:

A terceira dimensão não existe,  é apenas uma ilusão da sua mente. Literalmente. E isso é possível graças a um fenômeno natural chamado estereoscopia. Apesar do nome complicado trata-se apenas da projeção de duas imagens, da mesma cena, em pontos de observação ligeiramente diferentes.

Seu cérebro, automaticamente, funde as duas imagens em apenas uma e,  nesse processo, obtém informações quanto à profundidade, distância, posição e tamanho dos objetos, gerando uma ilusão de visão em 3D.

O áudio em 3d faz a mesma coisa, mas o ouvido funde duas frequências diferentes:

 A ideia é tocar um tom num ouvido e outro tom, ligeiramente diferente, no outro ouvido. Ao processar estes dois tons captados pelo ouvido direito e esquerdo, o cérebro assimila a diferença entre os mesmos e, num efeito de harmonização, entra nesta frequência.









Percebemos que sons de alta freqüência atingem regiões próximas da base da cóclea,
freqüências intermediárias atingem distâncias intermediárias e freqüências baixas causam ativação máxima da membrana basilar próximo ao fim da cóclea. Estas diferentes distâncias são o que denominamos “princípio da localização”, pois é através dos diferentes locais que são estimuladas dentro da via coclear que detectamos quais são as freqüências sonoras que estamos recebendo. O método principal utilizado pelo sistema nervoso para identificar diferentes freqüências sonoras é determinar as posições ao longo da membrana basilar que são mais estimuladas.


Frequência e altura são intimamente ligadas á percepção das notas,cada nota possui sua frequência e altura...
Levei para a faculdade um som em uma alta frequência e descobri que eu, a professora e mais alguns alunos não ouviam, mas alguns alunos se incomodaram e muito com o som...descobri que algumas lojas usam como “espanta-adolescente”,algumas operadoras de telefonia, inclusive a brasileira Telemig, criaram ringtones com a freqüência que só os adolescentes escutam. Desta forma, eles podem atender o celular durante a aula ou sem que os pais percebam...fiquei imaginando se já existem armas com essa tecnologia, pois uma frequência muito alta poderia causar muito estrago.

Existe também a idéia que estímulos gerados em cada ouvido podem alterar o funcionamento das ondas cerebrais.

(...) Sabendo as características mentais associadas a cada padrão de ondas cerebrais, tal como foram acima referidas, teríamos uma enorme vantagem em induzir um determinado padrão de ondas de forma a facilitar determinadas atividades mentais. Felizmente existe uma forma para fazer isto e baseia-se no princípio científico da Harmonização. Os sons binaurais podem ser usados para harmonizar ou sincronizar ambos os hemisférios cerebrais num só padrão sinérgico de ondas cerebrais.

O que é então o princípio da Harmonização? É muito simples. Por exemplo, vamos supor que penduramos nas paredes da mesma sala vários relógios de pêndulo e que cada pêndulo se move ao seu próprio passo, desfasado de todos os outros. Com a passagem do tempo os pêndulos tornar-se-ão progressivamente sincronizados, adaptando-se naturalmente o ritmo de cada um até todos os pêndulos se moverem em sintonia, em uníssono. Esta sincronização é o resultado do princípio da harmonização, é um fenómeno físico que ocorre de forma sistemática na natureza.

Este processo é importante pois também possui implicações directas no nosso cérebro, este opera de modo semelhante a uma caixa de ressonância. As ondas cerebrais pulsam a diferentes amplitudes e frequências, dependendo do nosso grau de envolvimento em determinadas actividades. Tal como o pêndulo do relógio, o nosso cérebro pode ficar sincronizado com determinados padrões de ondas se for exposto aos estímulos apropriados. Este é também um processo usado pelos xamãs em diversas tribos indígenas, que usam tambores e chocalhos para harmonizar as suas ondas cerebrais com uma frequência particular e assim entrar num estado de consciência alterado.

Juntamente com o papel desempenhado pelas ondas cerebrais no nosso estado de consciência é também importante discutir a anatomia básica do nosso cérebro e a forma como as suas partes interagem e funcionam. Os nossos cérebros possuem dois hemisférios, esquerdo e direito. O hemisfério esquerdo é linear, lógico, prático e orientado no tempo. Por seu turno, o hemisfério direito prece ser muito mais não linear, abstracto, criativo, holístico e não lógico. Por exemplo, um contabilista usa provavelmente muito mais o seu hemisfério esquerdo enquanto que um artista usa mais o direito. Tendemos a favorecer o uso de um determinado hemisfério consoante a actividade em que estamos concentrados. Assim como existe uma predominância de certas ondas cerebrais dependendo de determinadas actividades também existe a predominância de um dos hemisférios consoante o que estamos a fazer.

Os dois hemisférios estão ligados pelo corpo caloso. Esta estrutura funciona como uma ponte ou conduta entre ambos os lados e pode literalmente ser exercitada e fortalecida mentalmente até se tornar fisicamente maior e mais capaz de transmitir informação entre os dois hemisférios. Sincronizando os dois hemisférios e permitindo que estes trabalhem em conjunto podemos potencializar as nossas capacidades mentais. Basicamente é como ter um computador mais rápido, com os componentes melhor integrados e capaz de aceder mais rapidamente à informação e processamento de dados. Fazendo isto estaríamos literalmente a usar o nosso cérebro de um modo mais eficiente.

E como podemos então fazer isto? Vários estudos demonstraram que a meditação pode conduzir a estados em que o padrão de ondas cerebrais reflecte uma sincronização entre os hemisférios cerebrais. Esta sincronização reflecte um estado especial em que ambos os hemisférios estão activamente envolvidos nas mesmas frequências. Os EEGs de meditadores experientes exibem uma sincronização hemisférica acima do comum bem como a capacidade de atingir estes estados deliberadamente. Ambos os hemisférios podem estar sincronizados em qualquer padrão de ondas cerebrais tais como Alfa ou Theta, ou qualquer outra combinação. Esta característica conduz-nos ao próximo tópico de interesse: os sons ou batidas binaurais.


Bem, como sempre comecei a relacionar e fazer analogias...interessante notar que existem frequências que não ouvimos, o ouvido humano capta frequências de 20 htz até 20.000 htz , alguns animais, como cães e gatos ouvem coisas que não ouvimos, isso explica o porquê o cachorro do vizinho "pressentiu" que o ladrão ia invadir a casa, ou os "fantasmas" que o gato vê e se assusta, na verdade ele está ouvindo coisas que a gente não ouve...frequências sonoras acima de 20.000 htz são usadas em ultrassons pra ver o bebê dentro da barriga da mãe sem ser invasivo e nos sonares dos submarinos pra calcular distãncias.
O que me deixou impressionado é que as ondas cerebrais também são medidas em Hertz, é isso que o Eletroencefalograma faz.

Existem quatro tipos básicos de padrões de ondas cerebrais mas devido à complexidade do cérebro humano existem frequentemente diversos padrões interagindo simultaneamente. É a predominância de um padrão sobre os outros que determina o nosso estado de consciência.

Uma breve descrição de cada um dos quatro principais padrões bem como o seu intervalo de frequência e respectivo estado mental.

Ondas Beta: São as ondas mais rápidas, 13 a 30 Hz. Este é o padrão que obtemos ao monitorizar o nosso cérebro durante o estado de vigília. Ou seja, se neste momento efectuasses um EEG este obteria um aspecto típico de um padrão de ondas Beta.

Ondas Alfa: Mais lentas que as Beta, 7 a 13 Hz. Estão normalmente associadas a um estado de maior tranquilidade e relaxamento. Podem ser encontradas durante os estados meditativos mais comuns.

Ondas Theta: 3 a 7 Hz. Estão associadas a um estado de grande capacidade de reminiscência, criatividade e visualização, inspiração e conceptualização holística. É o padrão cerebral representativo do sono REM, ou seja, do sonho.

Ondas Delta: São as mais lentas dos 4 padrões principais, 1 a 3 Hz. Estão associadas ao sono profundo, sem sonho, e ao transe profundo.






I-doser é um programa de computador que produz “doses” de ondas sonoras, que procura interferir nas ondas cerebrais do usuário, simulando o efeito de várias drogas reais em seres humanos. As doses devem ser compradas, e o uso delas é limitado, não sendo possível o seu re-uso depois de algumas doses. Foi desenvolvido atráves de uma técnica conhecida como ondas binaurais, que emite sons que alteram a freqüência do cérebro. As doses mais conhecidas são Gate of Hades e Hand of God, tendo alta repercussão na internet

















O que me impressionou novamente foi que , não só a música é completamente ligada à matemática, mas o som pode ser convertido em geometria..através dos cymatics:

Cymatics (do grego: "onda" κῦμα) é o estudo do som e vibração visível, um subconjunto de fenômenos modais. Tipicamente, a superfície de uma placa, diafragma ou membrana é feito vibrar, e as regiões de máximo e mínimo deslocamento são visíveis em uma camada fina de partículas, pasta ou líquido . Diferentes padrões surgirão no meio de excitação em função da geometria da placa e da frequência de condução.








Chladni, que nasceu em 1756, mesmo ano em que Mozart, e morreu em 1829 , no mesmo ano como Beethoven, lançou as bases para a disciplina dentro da física, que veio a ser chamado de acústica, a ciência do som. Entre os sucessos de Chladni um foi encontrar uma forma de tornar visível o que gera ondas sonoras. Com a ajuda de um arco de violino perpendicularmente ao longo da borda de placas planas cobertas com areia, ele produziu padrões e formas
Qual foi o significado dessa descoberta? Chladni demonstrou uma vez por todas que o som  realmente afeta a matéria física e que tem a qualidade de criação de padrões geométricos.

http://www.youtube.com/watch?v=JHKUvxmN-wk

Imediatamente pensei nos Crop Circles:







Surgiram nos últimos anos, da noite para o dia,  em vários campos de trigo no Mundo, em especial no Sul de Inglaterra, Itália, Alemanha, Bélgica, etc., várias centenas de figuras (ou Pictogramas) perfeitamente desenhadas no solo cujos simbolos de grande significado esotérico não se sabe bem como foram feitas nem quem as fez. Tal fenómeno ficou sendo conhecido como os "Crop Circles".

Pensei se poderia ser uma frequência alta que pudesse dar forma à matéria, um terremoto, deslizamento de placas tectônicas, algo assim, porque no Brasil não existe nem terremotos , nem Crop Circles...

Os povos antigos e as meditações através de tambores,mantras que vibram frequências,aparentemente a Ciência começa a estudar a magia e encontra significados pra ensinamentos milenares, como mudar as ondas cerebrais e atingir níveis de consciência diferentes, o som mudando a matéria...os conceitos de realidade como um tecido que pode ser costurado e mudado...linhas temporais, toda essa maluquice que estou vendo nas séries e precisamente em Fringe parece ter um fundo de verdade...e estou propenso à acreditar em algumas das teorias conspiratórias...há um indício de fumaça nisso e a exarcebação da fantasia é só um despiste...


Bem, quem quiser pesquisar mais e tecer analogias e inferências...há alguma literatura por aí, fujam de explicações esotéricas, a realidade e a ciência são mais incríveis.









Um breve resumo de como a série é, contém spoilers




Bibliografia:
http://folklusitania.heavenforum.org/t149-frequencias-binaurais
http://www.anacarmen.com/blog
http://www.attack.com.br/artigos_tecnicos/ouvido_humano.pdf
http://laconcienciacuantica.blogspot.com.br/2012/04/cymatics-ciencia-do-futuro.html


Me adicionem se quiserem conversar sobre: http://www.facebook.com/luciano.pires.716








quinta-feira, 13 de setembro de 2012

                               

Curta com uma história demente bolada por mim, assistam!

Pessoas que aportaram por aqui: